Holy Motors (Leos Carax, 2012)


                                                                      
                                                                          TRAILER:




Direção: Leos Carax
Roteiro: Leos Carax
País: França
Gênero: Drama, Fantasia
Elenco:
Denis Lavant (Monsieur Oscar)
Big John Hamilton
Edith Scob
Eva Mendes
François Rimbau (Homme aveugle)
Jean-François Balmer
Karl Hoffmeister (Spectateur)
Kylie Minogue
Michel Piccoli


Sinopse: Da madrugada até à noite, algumas horas na existência do Senhor Oscar, um ser que viaja de vida em vida. É alternadamente industrial, assassino, pedinte, criatura monstruosa, pai de família... O senhor Oscar parece desempenhar papéis, interiorizando cada um de forma completa, mas onde estão as câmeras? Está sozinho, acompanhado apenas por Céline, uma senhora loira alta aos comandos da imensa máquina que o transporta em Paris e arredores. É como um assassino consciencioso movendo-se de assassinato em assassinato. Persegue a beleza do gesto, do motor da ação, das mulheres e dos fantasmas de sua vida. Mas onde é a sua casa, onde está a sua família, o seu descanso?


Análise:

A experiência de assistir à este filme de Leo Carax é bastante estranha e lisérgica. O filme consegue ser perturbador e emociante de forma surreal e mística, o protagonista que vagueia por milhares de lugares e vidas na bela Paris, faz uma alusão ao ser humano moderno, que vive como um ator divagando por entre vários lugares usando sempre uma mascara diferente, àquela que se adapta a cada situação, dando uma certa comodidade ao seu conformismo e também um sentido à sua existência vazia. Aqui o personagem principal - brilhantemente interpretado por Denis Lavan - tem de ser esta metamorfose ambulante, um colecionador de personalidades e vidas, e pelo que percebemos, ele tem isto como uma profissão, ele tem a obrigação de ser várias pessoas durante todo o dia, 24 horas interruptas de criação, vivência e morte de seus personagens. Ele vive várias vidas e vagueia entre elas dentro de uma limousine, dentro deste veículo ele constrói a persona de cada ser que ele deve representar, e entre as conversas depressivas e algumas vezes descontraídas com a motorista da limousine Celine, é que percebemos a verdadeira personalidade deste camaleão, pois é ali que ele demonstra suas fraquezas, esperanças, angústias e sonhos. Ele presta este serviço a uma organização chamada por ele de ''a empresa'', que pode ser uma analogia a Deus... quem sabe. 

O protagonista chamado de sr. Oscar não é o único neste trabalho de ser uma metamorfose ambulante, todos os personagens que aparecem no filme parecem ter a mesma profissão e ninguém é o que parece e muito menos o que aparenta. Leos Carax também escreveu o roteiro do filme, e na minha opinião, ele se inspirou nos geniais cineastas Alejandro Jodorowsky e Luis Bunuel para a construção do roteiro de ''Holy Motors'', toda esta aura mágica e surrealista do filme lembra bastante os filmes deste dois místicos e excêntricos cineastas. 

O filme também faz uma crítica à obsessão do ser humano pela profissão perfeita, aquela que o colocará num patamar social elevado e lhe dará riquezas e privilégios, e brinca com as conseqüências desta busca que pode perturbar sua própria existência o fazendo esquecer quem ele realmente é e o que ele realmente busca.

Um personagem em especial entre vários interpretados pelo o sr. Oscar durante toda a obra, como se fosse um filme dentro de outro filme sucessivamente, chamou minha atenção, é um ser que se veste com uma roupa verde e que adentra cemitérios afim de criar o caos perturbando a paz do lugar, comendo as flores dos túmulos, xingando e  espancando os visitantes. Acho que este personagem faz uma analogia a fuga do ser humano comum que quer se conectar de alguma forma com o mundo espiritual afim de buscar respostas existenciais, quando não as encontra, o desprezo e o desapontamento faz com que ele profane lugares imaculados, como túmulos, símbolos e altares religiosos, como se fosse um espírito da desordem e do caos. As bizarrices não param por ai, estes personagens interpretados pelo protagonista se tornam cada vez mais bizarros e interessantes ao longo do filme, a cada nova missão que ele deve cumprir para atingir sua meta estipulado pela ''a empresa'', às vezes ele é um poderoso banqueiro, depois ele é um enfermo em estado terminal, depois um mendigo, depois um músico e etc. Neste filme, cada pessoa pode se identificar com algum personagem que condiz com sua personalidade ou pode não se identificar com nenhum, aqui as câmeras fazem o papel dos nossos olhos desnudos, Leo Carax apenas filma a obra, somos nós quem a interpreta de forma significativa, isto dá várias interpretações e vários significados como se estivéssemos lendo alguma escritura religiosa e sagrada. Enfim, este filme é uma experiência cinematográfica moderna sensacional, não uma obra-prima, mas uma obra singular, que peca um pouco em estilo mas compensa na qualidade do que é apresentado.

Share on Google Plus

About leandro godoy

This is a short description in the author block about the author. You edit it by entering text in the "Biographical Info" field in the user admin panel.
    Blogger Comment
    Facebook Comment

0 comentários:

Postar um comentário